387 – Não te Deixarei Morrer, David Crockett – Miguel Sousa Tavares

2014/05/22

livro

BRID: 387 – Não te Deixarei Morrer, David Crockett de Miguel Sousa Tavares

Para além dos textos de ficção inéditos, este livro de Miguel Sousa Tavares reúne textos que ao longo dos anos foram publicados na revista Máxima e noutros lugares.
As “Short Stories” que pela primeira vez vão ser vistas por outros olhos: A Passagem, A Fidelidade, O Espião que ficou no frio, Nova York-Lisboa e O Velho de Alcântara Mar. O próprio autor explica na Nota Prévia o título do livro: David Crockett representa “uma espécie de pureza inicial, um excesso de sentimentos e de sensibilidade, a ingenuidade e a fé, a hipótese fantástica da felicidade para sempre”. http://www.wook.pt/ficha/nao-te-deixarei-morrer-david-crockett/a/id/102368

Biblioteca da Escola Superior Agrária de Bragança

Anúncios

386 – O Retrato de Dorian Gray – Oscar Wilde

2014/05/22

Dorian

BRID: 386 – O Retrato de Dorian Gray de Oscar Wilde

Dorian Gray é um jovem invulgarmente belo por quem Basil Hallward, um pintor londrino, fica fascinado. Determinado a eternizar a beleza de Dorian numa tela, Basil convence-o a posar para ele. Numa dessas sessões, o jovem conhece Lorde Henry Wotton, um aristocrata cínico e hedonista, que o desperta para a beleza e o seduz para a sua visão do mundo, onde as únicas coisas que valem a pena perseguir são a beleza e o prazer. Horrorizado com o destino inevitável que o fará envelhecer e perder a sua beleza, Dorian comenta com os amigos que está disposto a tudo, até mesmo a vender a alma, para permanecer eternamente jovem e manter a sua beleza.
Fortalecido pelo hedonismo, Dorian trata cruelmente a sua noiva, Sybil Vane, que se suicida com o desgosto. Ao saber do sucedido, o jovem começa a notar certas mudanças subtis na sua expressão no quadro, e constata que é o Dorian do quadro que envelhece e que sofre com a passagem dos anos, ao mesmo tempo que o Dorian real permanece com a juventude e beleza intacta. Um romance gótico de horror com um forte tema faustiano, O Retrato de Dorian Gray é considerado pela crítica como a melhor obra de Oscar Wilde. http://www.wook.pt/ficha/o-retrato-de-dorian-gray/a/id/3501423

Biblioteca da Escola Superior Agrária de Bragança

 


385 – Estalinegrado até ao último cartucho – Heinz Schroter

2014/05/22

estalinegrado

BRID: 385 – Estalinegrado até ao último cartucho de Heinz Schroter

Este livro foi escrito em 1943, a pedido de Goebbels, e em nome de Hitler com base em todos os documentos publicados ou secretos do Alto-Comando alemão. A história das vinte e duas divisões que não voltaram horrorizou o ministro de Informação e Propaganda, e compreende-se que tenha dito:” O povo alemão não suportará este relato”. Duzentos e vinte mil soldados que supunham ir passar a Estalinegrado uma semana ou um mês ficaram para toda a eternidade. Outros cento e vinte e três mil, tomaram o caminho do cativeiro. Tal é o resumo dramático de uma das maiores batalhas da História.

Biblioteca da Escola Superior Agrária de Bragança

 


384 – A Ilha – J.M. Coetzee

2014/05/22

image

BRID: 384 – A Ilha de J.M. Coetzee

“A Ilha” de J. M. Coetzee leva-nos de volta à história de Robinson Crusoé, desta vez através do relato de uma mulher que naufragou na sua ilha. Esta mulher, que partiu de Inglaterra para o Brasil, em busca da sua filha, acaba por ser abandonada no mar por um grupo de marinheiros revoltados com o seu comandante. Quando chega à ilha, o seu primeiro contacto dá-se com Friday, o célebre companheiro de Crusoé. Quando são finalmente salvos da ilha, Susan (assim se chama esta mulher) torna-se na protectora de Friday, após a morte de Cruso (assim se chama Crusoé nessa história), que ocorre durante a viagem de regresso a Inglaterra. De volta à sua pátria, Susan sente a necessidade de contar a sua história e procura Foe para que este a escreva. Temos então aqui a origem da história de Daniel Defoe.Mas este livro não acaba aqui… Susan continua a escrever cartas a Foe para que este continue a contar a sua história após o regresso, mesmo quando ele desaparece e deixa Susan e Friday sem dinheiro para sobreviver. O livro tem então três partes: a vida de Susan, Friday e Cruso na ilha; a vida de Susan e Friday na casa de Foe; e, finalmente, o reencontro com Foe.É uma história simples e complicada, contraditória. A tentativa de uma mulher de descobrir o seu papel no mundo, quando já parece tarde demais para começar.” http://pt.shvoong.com/books/1870237-ilha/#ixzz32RT0I36N

Biblioteca da Escola Superior Agrária de Bragança


383 – Caléndula – Ariella Broquel Rosso

2014/05/22

index

BRID: 383 – Caléndula de Ariella Broquel Rosso

Um romance pelo de vigor, quer pelo estilo depurado e ágil, quer pela intensidade das personagens: a saga de Lel, de rapariga a mulher madura, espelho de uma certa condição feminina portuguesa e doutras masculinas envolventes, num percurso que vai interessando cada vez mais ao leitor (homem ou mulher) até à redenção total.

Biblioteca da Escola Superior Agrária de Bragança


382 – Meu Cristo de cada dia – Pe. Virgílio

2014/05/22

index

BRID: 382 – Meu Cristo de cada dia de Pe. Virgílio

O fundamental no encontro do homem com Deus é meditar o evangelho, encarando os acontecimentos à luz do exemplo e das palavras de Jesus, que armou sua tenda entre nós. Ilustrado com fotos da vida quotidiana. http://www.paulus.com.br/loja/o-meu-cristo-de-cada-dia_p_1062.html

Biblioteca da Escola Superior Agrária de Bragança


381 – Socialismo sem Dogma – Mário Sottomayor Cardia

2014/05/22

BRID: 381 – Socialismo sem Dogma de Mário Sottomayor Cardia

Eis um livro destinado a provocar controvérsia. O socialismo define-se por valores, não se identifica com um modelo económico. É um projecto de sociedade que luta pela igualdade de oportunidades e pela solidariedade entre os homens mediante a redistribuição da riqueza, a articulação de políticas fiscais e de rendimentos e preços, um certo tipo de planeamento da economia de mercado, a implementação de um forte poder sindical, o apoio ao cooperativismo. (…) Socialismo sem Dogma é um ensaio sistemático de teoria do socialismo. Uma obra, sem paralelo na produção portuguesa actual, surge em momento que diversas circunstâncias tornam oportuno. O autor é simultaneamente um intelectual e político que escreveu este livro sem nunca esquecer os acontecimentos que marcaram a sociedade portuguesa desde 1974.